Uma abordagem única ao tratamento da helmintíase

Desencadear o poder da conjugação

Cinco espécies, dois medicamentos, um comprimido

Uma ferramenta acessível e eficiente para controlar a infeção

O modelo adotado no STOP2030 consiste em combinar dois medicamentos existentes num único comprimido que permite um tratamento mais eficiente e acessível das infeções helmínticas. Estes dois compostos são o albendazol e a ivermectina, ambos anti-helmínticos já aprovados e de uso generalizado em todo o mundo. Os seus mecanismos de ação são diferentes, o que resulta numa eficácia mais ampla e minimiza o risco de resistências. Esta combinação provou ser segura e eficaz nos nossos ensaios clínicos anteriores e encontra-se nas últimas fases de desenvolvimento antes da aprovação regulamentar.

Ivermectin

Albendazole

Ir para além da ciência

Da investigação à aplicação

O desenvolvimento de um novo medicamento não é suficiente para acabar com as infeções helmínticas transmitidas pelo solo (HTS). Outras considerações, como a garantia de preços acessíveis, o financiamento sustentável e o planeamento da melhor estratégia de implementação com as principais partes interessadas, são essenciais para o êxito a longo prazo. Para tornar o novo tratamento numa opção real, incluindo para as comunidades mais pobres e negligenciadas, também preparamos as vias regulamentares e de fornecimento para a aplicação do mesmo. Ao envolver os responsáveis políticos e de toma de decisões a nível internacional e nos governos, pretendemos apoiar a utilização futura deste novo tratamento e tornar realidade o controlo da atual carga incomportável de parasitas intestinais.

Preencher a lacuna na administração

Uma nova abordagem para atingir os objetivos internacionais

As estratégias anteriores foram insuficientes para atingir os objetivos da Organização Mundial de Saúde em matéria de controlo dos HTS. De acordo com o seu último plano para 2030, o objetivo é alcançar e manter a eliminação da morbilidade associada às HTS nas crianças (prevalência <2%). Dadas as preocupações com as atuais estratégias de controlo que utilizam benzimidazóis (albendazol ou mebendazol), a nossa nova estratégia combinada pode funcionar como uma solução que estará pronta em breve para se expandir nos países.